Saúde Puericultura Pré-mamã e Mamã Educação Desenvolv. Infantil Desporto Festas Infantis Material Didáctico Actividades Lúdicas Vestuário Casa e Decor Transportes Produtos Biológicos Yoga Massagem Infantil Seguros e Finanças Viagens e Lazer Animais Ofertas Formativas Artigos 2ª Mão

Publicidade




Ler uma História

A princesa da chuva



ler história


Receitas da Semana

Cake Pops



ver receita


Venda de Livros

 


 
FacebookTwitterGoogle+LinkedInNewsletter
Artigos

 


Ver todos os artigos  |  Categorias


O Projecto A PAR - Associação Aprender em Parceria
Setembro, 2008
Maria Emília Nabuco e Maria Prates - Cadernos de Educação de Infância
APEI - Assoc. de Profissionais de Educação de Infância


[ver mais artigos deste autor]


  Investigações recentes sobre o cérebro humano indicam que o seu desenvolvimento e actividade são maiores nos três primeiros anos de vida comparativamente com qualquer outro período (Houdé, 2002), que as experiências precoces têm um impacto decisivo nas capacidades de aprendizagem e que "os projectos da infância têm mais sucesso quando os pais estão verdadeiramente envolvidos" (Ball, 1994).

  O reconhecimento de que na cidade de Lisboa, assim como noutras grandes cidades, existem problemas graves de falta de apoios efectivos às famílias com crianças entre os zero e os três anos de idade e que nas populações da periferia se agravam a falta de vinculação afectiva e os consequentes problemas de iliteracia, numeracia e baixa auto-estima nos adultos e crianças, conduziu-nos a fazer uma revisão de literatura, a nível internacional, sobre educação parental da qual se destacou o Projecto Peers Early Education Partnership (PEEP) de Oxford, Reino Unido. Este é um Projecto com mais de dez anos de existência, que apresenta grandes potencialidades na promoção do envolvimento de pais e crianças numa experiência de educação conjunta (Moran, Ghte & Van der M., 2004). Tem ainda a vantagem de ter sido avaliado em três estudos longitudinais reveladores de resultados positivos nas crianças, nos seus pais e na própria comunidade.

  Os resultados obtidos, no que respeita às crianças, revelaram ganhos significativos na compreensão verbal, vocabulário, consciência fonológica, escrita, conceitos numéricos precoces e auto-estima. Informações sobre os resultados do estudo estão disponíveis em (www.edstud.ox.ac.uk) e (www.DFES.gov.uk/research).

  O estudo que incidiu nos pais concluiu que os que participaram com os seus filhos no Projecto PEEP conseguiram uma melhor interacção com estes, proporcionando-lhes um ambiente com maiores potencialidades relacionadas com os cuidados e a aprendizagem. (Evangelou, Brooks, Smith & Jennings, 2005).

  Os dados do estudo da comunidade revelaram que os pais que participaram no PEEP com os seus filhos melhoraram significativamente a sua situação socioeconómica, tornaram-se mais pró-activos, e alguns regressaram à escola assim como criaram maior capacidade de decisão e vontade de procurar emprego. Adquiriram maior capacidade para ajudar as suas crianças no desenvolvimento da literacia (Sylva, Evangelou,Taylor, Rothwell, Brooks, 2004).

  O reconhecimento do valor do Projecto Peers Early Education Partnership conduziu à convicção de que seria valioso para as famílias e crianças atrás referenciadas a adaptação do Projecto PEEP à cultura portuguesa. Por isso, propôs-se à Fundação Aga Khan e à Fundação Calouste Gulbenkian o financiamento dessa adaptação. Desde o início, ficou explícito tratar-se de um projecto-piloto que se desenvolve no contexto da família e da comunidade, dirigido às crianças e suas famílias.

  Assim, nasceu o Projecto A PAR que, para se estruturar, conduziu à criação da Associação Aprender em Parceria - A PAR. Esta, desde Maio de 2007, é uma Instituição Privada de Solidariedade Social, reconhecida como instituição de Utilidade Pública.

  O Projecto dirige-se fundamentalmente a populações carenciadas, de modo a envolver desde muito cedo os pais e cuidadores no processo de desenvolvimento e educação das suas crianças tendo por base a criação de vínculos afectivos estáveis que se consideram fundamentais na construção dos alicerces para o sucesso futuro na escola, em casa e ao longo da vida.

  O Projecto pretende ainda contribuir para a estruturação de um currículo de educação parental e para a formação dos cuidadores de crianças da faixa etária dos zero aos cinco anos, tendo em conta as diferentes etapas do seu desenvolvimento.

  O Projecto A PAR propõe-se desenvolver um conjunto de acções, de acordo com sete objectivos fundamentais:

  1. Afirmar o papel crucial dos pais e cuidadores na sua função de educadores das crianças pequenas, embora sempre em parceria e interacção com a complexa rede de relações educativas existentes;

  2. Promover nos pais e cuidadores a consciência de que os processos de aprendizagem estão presentes desde o nascimento e que o desenvolvimento das crianças pode ser potenciado através de um envolvimento mais consciente nas actividades e interacções com as suas crianças no dia-a-dia;

  3. Ajudar os pais e cuidadores no seu relacionamento com as crianças para que promovam desde cedo um harmonioso desenvolvimento afectivo e emocional dos seus filhos, contribuindo para uma boa auto-estima dos mesmos;

  4. Ajudar os pais e cuidadores a proporcionar às suas crianças o desenvolvimento de predisposições positivas para a aprendizagem, sendo a ludicidade e as expressões (música, movimento,poesia, literatura, dramatização) os veículos promotores dessa mesma aprendizagem;

  5. Ajudar os pais e cuidadores no desenvolvimento da literacia das suas crianças (incentivando-os a ler livros diariamente com os seus filhos desde a mais tenra idade) e da numeracia (despertando neles a consciência de que são as situações do dia-a-dia, vividas em família, aquelas que mais podem contribuir para a aprendizagem das noções básicas da matemática).

  6. Promover entre pais redes de suporte mútuo para a educação dos seus filhos. Redes que se reflectirão na construção duma comunidade empreendedora e criativa.

  7. Promover e dar suporte ao desejo dos pais e cuidadores, enquanto adultos, de quererem continuar a aprender ao longo da vida de tal modo que lhes seja dado "Reconhecimento, Validação e Certificação de Competências" segundo os parâmetros estabelecidos a nível nacional. Esta aprendizagem é construída nos grupos, nas experiências que são incentivados a realizar em casa com os seus filhos e na reflexão que desenvolvem a partir destas mesmas experiências.

    Desta forma, pretende-se contribuir para a saúde, bem-estar, criatividade e desenvolvimento das comunidades onde o Projecto está a ser implementado, bem como para o desenvolvimento integral e a melhoria educacional das crianças, em conjunto com os seus pais e cuidadores.

  O Projecto A PAR apresenta várias modalidades de funcionamento, dada a flexibilidade que este possui, na adaptação às necessidades locais. No entanto, a modalidade de funcionamento implementada desde Abril de 2007 tem sido a de actuar em pequenos grupos de pais e seus bebés ou crianças de três anos que, na sua maioria, não estão a frequentar Creches ou Jardins-de-Infância. Pode ser oferecido às crianças dos zero aos cinco anos e a seus pais ou a diversos públicos alvo, como por ex: mães grávidas, em visitas domiciliárias, Hospitais, Centros de Saúde, Centros Comerciais, Escolas, Creches, Jardins-de-Infância.

  O Projecto A PAR desenvolve-se em sessões semanais de uma hora coordenadas por um Líder, apoiada por um Assistente, que trabalham com um grupo de pais (pelo menos um dos cuidadores) e os seus filhos. As sessões A PAR têm como suporte um currículo que foi estruturado tendo em conta as diferentes necessidades das crianças em cada etapa do seu desenvolvimento.

  Para que estas sessões possam manter um bom nível de qualidade, os Líderes e Assistentes participaram previamente num curso de formação nas dinâmicas específicas do projecto. Estas dinâmicas referem-se à educação das crianças e educação parental, utilizando metodologias lúdicas, activas e reflexivas que envolvem música, rimas, leitura de histórias nos grupos e em casa, aspectos que se revelam fundamentais no desenvolvimento da literacia (Hannon, 1995). A formação em outras metodologias tais como a massagem para bebés e dinâmicas facilitadoras do diálogo com e entre os pais, também foram contempladas na formação inicial e contínua.

  As Líderes são licenciadas em diferentes áreas das ciências humanas, as Assistentes possuem a escolaridade obrigatória, são pessoas dos territórios onde o Projecto A PAR está a ser implementado e assumem a função de ligação à comunidade, recrutamento de famílias e crianças para além da sua função própria nos grupos.

  No A PAR tem-se a consciência de que é fundamental apostar na qualidade das parcerias que devem ser estabelecidas entre os pais e com os profissionais, baseadas no respeito mútuo e partilha de propostas (Ball, 1994; Moran, & Van Der, 2004).

  Os profissionais do A PAR trabalham em parceria com os adultos, reconhecendo que os pais e os cuidadores querem o melhor para as suas crianças, e que em todas as famílias existe um potencial poderoso que contribui para a aprendizagem e desenvolvimento das mesmas nos primeiros anos de vida. O objectivo é criar contextos securizantes que sejam facilitadores do desenvolvimento do potencial que existe nas famílias através do conhecimento que se tem destas e do desenvolvimento das crianças. Pais e cuidadores são ajudados a rentabilizar o que já fazem pela educação dos seus filhos, sendo confirmados na sua função parental. Este princípio de cooperação e de consulta com as famílias é fundamental no trabalho realizado pelo A PAR e que resulta na melhoria da auto-estima para todos, adultos e crianças.

  Para a implementação do projecto, o A PAR tem estabelecido parcerias de cooperação a nível nacional com instituições ligadas à educação, à saúde e ao serviço social, prestando assim um melhor serviço às comunidades onde o Projecto está a desenvolver-se (actualmente nos territórios da Alta de Lisboa, Ameixoeira e Mira Sintra). O trabalho de rede com os parceiros sociais das áreas de inserção do Projecto, nomeadamente os Centros de Saúde, os Agrupamentos de Escolas, o Projecto K’CIDADE e as demais instituições de infância e juventude existentes, tem sido fundamental para o seu desenvolvimento.

  Protocolos de cooperação têm sido firmados com outro tipo de instituições não forçosamente sediadas nos territórios. Um protocolo importante foi firmado com a instituição parceira, o Peers Early Education Partnership, de Oxford, e um outro com a Editora Estúdio Didáctico para edição dos produtos A PAR. O mais recente Protocolo foi estabelecido com o Plano Nacional de Leitura com o objectivo de reforçar algo que é genuíno do Projecto A PAR, promover a leitura desde a mais tenra infância, contribuindo desde cedo para o desenvolvimento da literacia.

  Como se trata de um projecto/piloto torna-se evidente a necessidade de avaliação. Para tal, está a decorrer uma investigação sobre a implementação do Projecto A PAR em Portugal.

  Esta investigação está a ser financiada pela Fundação para a Ciência e Tecnologia – FCT, coordenada pelo Centro Interdisciplinar de Estudos Educacionais da Escola Superior de Educação de Lisboa em parceria com a Faculdade de Psicologia e Ciências de Educação da Universidade de Lisboa e com o Departamento de Educational Studies da Universidade de Oxford, que realizou os estudos longitudinais sobre o Projecto PEEP de Oxford.

  O A PAR pretende ainda publicar um conjunto de materiais que assumem o nome de série Aprender Juntos. Estes materiais são necessários para o funcionamento do próprio Projecto e estão a ser elaborados para os pais e cuidadores usarem em casa como suportes lúdicos que favorecem o desenvolvimento sócio-cognitivo, sócio-afectivo e emocional e da aprendizagem das suas crianças. Estes matérias podem vir a servir pais interessados e outros profissionais a trabalhar com crianças destas idades.

  Cadernos: está a ser elaborado um caderno para cada um dos cinco níveis etários do currículo A PAR. Os cadernos oferecem informação útil sobre a aprendizagem e desenvolvimento das crianças pequenas, e sugerem actividades para os pais realizarem em casa com as crianças. Cada caderno tem nove secções, abordando, de diferentes perspectivas, os temas centrais do currículo. Cada secção de actividades sugeridas está relacionada com um aspecto particular do desenvolvimento das crianças, dando-lhe suporte. A sugestão de actividades pode ser importante tanto pela oferta de novas ideias como pela valorização das coisas que os pais/cuidadores já realizam.

  DVDs: apresentam de modo diferente as mesmas ideias-chave dos Cadernos. Existe um para cada nível etário (estando já publicado o primeiro para as crianças dos 0 aos 12 meses) focalizando os benefícios obtidos pelo adulto na sua participação no projecto. Os "actores" de todos os vídeos são famílias que têm vindo a participar no PEEP de Oxford.

  Livros com canções e CDs: para o período contido entre o zero e os três anos existe um CD e um livro de canções já publicado (embora esteja planeado publicar um segundo para esta faixa etária e dois para as faixas etárias dos três aos seis anos). Canções e rimas são elementos centrais no projecto A PAR, tanto pela sua importância no desenvolvimento da linguagem como pelo enorme contributo que podem dar fazendo da aprendizagem um momento lúdico. Ter CDs e livros com as palavras e as músicas das canções usadas no projecto torna mais fácil às famílias divertirem-se com essas canções em casa. As famílias que participam nas sessões de grupo podem sentir-se mais confiantes a cantar no grupo se tiverem ouvido os CDs em casa. As canções contidas nos CDs foram compostas por um grupo de jovens músicos profissionais. Algumas são recolhidas dos cancioneiros tradicionais portugueses, mas editadas com novos arranjos.

  Todos estes materiais são de extrema importância para pais e educadores de crianças que se situam na faixa etária dos zero aos cinco anos, podendo ser adquiridos, os já publicados, no Estúdio Didáctico, no El Corte Inglês, na Livraria Ler para Crer da Escola Superior de Educação de Lisboa e brevemente na APEI.

Bibliografia
Ball, C., Start Right: (1994). The Importance of Early Lerning. London RSA
Evangelou, M., Brooks, G., Smith, S. & Jennings, D., (2005). Birth to School Study: A Longitudinal Evaluation of the Peers
Early Education Partnership (PEEP) 1982-2005. Sure Start Evidence & Research. UK
Hannon, P., (1995). Literacy, Home and School, London Falmer Press
Houdé, O.(2002). Les Cheminements de la Conscience chez l´enfant. Pour La Science, n.º 302, pp. 80-83
Moran, P. Ghte, D., & Van der M., (2004). What works in Parenting Support? A Review of the International Evidence. Policy Research Bureau. Department of Education and Skills
Creating opportunity, releasing potential, achieving excellence. Research Report RR574. UK
Sylva, K. Evangelou., M, Taylor, R., Rothwell, Brooks, G., (2004). Enabling Parents. The Role of PEEP in Supporting Parents as Adult Learners. University of Oxford. UK
Sites
www.edstud.ox.ac.uk
www.DFES.gov.uk/research
www.peep.org.uk

Maria Emília Nabuco e Maria Prates - Cadernos de Educação de Infância nº83 Abr/08
[ver mais artigos deste autor]


<<  voltar  |  topo  |  Todos os Artigos





Termos e Condições de Utilização
Copyright - Portal da Criança - 2007-2014
Desenvolvido por:
 CCEB